Show Tempos Difíceis

tempos

VIDEOCLIP OFICIAL

Uma gérbera vermelha é a primeira imagem do videoclipe “Que Tempos Difíceis São Esses Que Falar de Amor é Quase um Crime”.

A flor que representa o amor por metáfora e cor é colhida por uma criança que sai andando e encontra pelo caminho algumas das atrocidades de uma sociedade violenta.

Com direção do jovem direitor suzanense, Douglas Cordeiro, que assina também o clip “Cabra Trabalhador”, single do novo cd do músico Zé de Riba que teve mais de 3 mil visualizações, faz a direção do “Tempos Difíceis”, junto com ele, Walmir Pinto como diretor de elenco e a produção desse trabalho fica com assinatura da empresa Ateliê Imagem. Para essa gravação, a praça Cidade das Flores serviu de cenário durante um sábado de março.

A figuração do clip conta com alunos de teatro da atriz e cantora, Carla Shinabe, além de outros parceiros do projeto. (Fala do Walmir sobre o elenco).

O roteiro do clip está todo baseado numa construção de imagens entre a relação do opressor com o oprimido. É o caso da personagem do ator Chico Zé que interpreta um homem que queima um morador de rua no meio de uma praça. Outra situação é a uma briga de transito vivida pelos atores Drico de Oliveira e Gil Mendes. A homofobia é retratada pelo ator (não sei o nome dele) e o machismo com a atriz e produtora do projeto Renata Abreu.

“Que Tempos Difíceis São Esses Que Falar de Amor é Quase um Crime” possui como referência o poema do dramaturgo, poeta e escritor alemão, Bertolt Brecht.

E no último sábado (18/05), estreou o show, em Suzano, no Cineteatro Wilma Bentevegna, que possui músicas de autoria de Zé de Riba e Walmir Pinto, além dos arranjos do músico Ricardo de Deus. O projeto conta ainda com Douglas Gamboa, Davi Gonçalves e Carla Shinabe.

WhatsApp Image 2019-05-22 at 09.47.19
14 de junho: 20h – Mogi das Cruzes, SP

| SINOPSE |

A ideia do show “Que tempos difíceis são esses que falar de amor é quase um crime”, surge de uma parceria entre o ator, diretor e jornalista, Walmir Pinto com o músico Zé de Riba inspirado em um poema de Bertold Brecht.

| CRÉDITO |

Voz e Violão – Zé de Riba
Voz – Carla Shinabe
Teclado – Ricardo de Deus
Baixo – Douglas Gamboa
Bateria – Davi Gonçalves
Músicas – Walmir Pinto e Zé de Riba *
(Fragmentos e Vem de Lá – Ricardo de Deus)
Arranjos e Direção Musical – Ricardo de Deus

Direção Geral – Walmir Pinto
Direção de Arte: Katherine Hajdu
Projeto de Luz: Otavio Rodrigues
Assessoria de Imprensa: Vinicius Amaral

Produção – Amaury Rodrigues e Carlos Magno
Realização: Ateliê de Imagens

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s